Relatório de Impacto Ambiental/Ampliações do Aeroporto Internacional de SP/Guarulhos
 

III. DIAGNÓSTICO AMBIENTAL (parte 1)

Esse capítulo inicia-se com a definição das áreas de influência que serão adotadas nos estudos ambientais. Seguem-se os diagnósticos das áreas de influência indireta, direta e diretamente afetada.

1. ÁREAS DE INFLUÊNCIA

A partir da caracterização do empreendimento torna-se possível definir as áreas de influência indireta (AII), direta (AID) e diretamente afetada (ADA).

1.1 Área de Influência Indireta (AII)

Para o presente estudo foram adotados dois cortes espaciais para a Área de Influência Indireta:

− Meio Antrópico: envolvendo o Município de Guarulhos, onde se rebaterão, predominantemente, os impactos sobre as atividades relativas às fases de construção e operação do Aeroporto; e

− Meio Físico-Biótico: correspondente à Bacia do Rio Baquirivu-Guaçu, tendo em vista as interferências previstas no projeto para este corpo d’água.

A Figura III.1, apresentada na página seguinte, ilustra tal recorte geográfico.

1.2 Área de Influência Direta (AID)

Considerando as instalações existentes e a serem implantadas, a Área de Influência Direta foi definida com dois cortes espaciais a seguir relacionados:

– Meio Antrópico:

Para a delimitação espacial da AID, no âmbito dos estudos sócio-econômicos, utilizou-se a projeção das Curvas de Ruído 2 das pistas existentes (P1 e P2), no que diz respeito à situação atual, e da Curva de Ruído 2 da configuração de pistas futuras (P1, P2 e P3), considerando a capacidade máxima do Aeroporto e a adoção de aeronaves menos ruidosas para subsidiar a avaliação de impactos futuros.

A partir dessas projeções, foram mapeados os setores censitários contidos, ainda que parcialmente, na área da projeção das Curvas de Ruído 2.

– Meio Físico-Biótico:

Para delimitação da AID, no âmbito dos estudos físicos e biológicos foi definida uma área no entorno da Área Diretamente Afetada, suficiente para revelar a avaliação da significância dos fragmentos vegetais existentes (com conseqüente rebatimento à fauna local).

A Figura III.2, apresentada na seqüência, ilustra o recorte geográfico da AID.

1.3 Área Diretamente Afetada (ADA)

A Área Diretamente Afetada foi definida como aquela referente às novas instalações pretendidas (TPS 3, Pista 3), ao canteiro de obras, a área integrante do Decreto de desapropriação – Decreto Estadual nº 46.499/2002.

A Figura III.3, apresentada na seqüência, mostram a configuração espacial da Área Diretamente Afetada.

avançar